Agenda Lidl

Não consigo resistir a uma agenda!

Apesar de usar um pequeno bloco como bullet journal para transportar na minha mala, amo chegar a casa e ter uma agenda com as semanas planeadas.

O ano passado tinha comprado a agenda diária da Mr.Wonderful mas sem argolas, o que me chateou bastante apesar do tamanho ser excelente para transportar comigo.

Há dois anos tinha optado por uma também da mesma marca mas versão argolas e diária. Cheguei à conclusão de que diária era muito espaço para o que queria escrever.

Este ano decidi que iria optar por argolas e semanal.

Fui ver o preço e não me agradou dar 17€ por uma agenda assim.

Sim já tinha dado 20€ antes por uma da Mr.Wonderful mas eu, pessoa que gosta de estrear e de largar esquecida, não me apetecia dar o mesmo valor novamente.

Foi aí que vi num folheto do Lild esta versão bem mais barata.

Por 5.99€ trouxe uma agenda que vai de Agosto deste ano até Dezembro do próximo ano, com visão semanal, com 127 autocolantes (que não costumo usar! Daí não precisar de 250!) e que traz mensagem motivacionais como a Mr.Wonderful!!!

Atenção que das versões que o Lidl tem esta semana só esta versão tem até Dezembro. As outras duas têm de Agosto a Agosto e há um terceiro modelo que é um diário, ou seja, não tem dias nem semanas.

Com 10€ de diferença não é de aproveitar?!

Anúncios

Sugestão de Filme | Mulher de Ouro

Mulher de Ouro

Para quem gosta de filmes baseados em histórias reais, este é um filme que deve ver. Retrata uma das muitas histórias de judeus a quem os nazis roubaram todas as suas riquezas e, riquezas essas, que os sobreviventes do holocausto nunca mais voltaram a ver.

Este filme fala da pintura que os austríacos chamam de “a sua Monalisa” e que na realidade é o Retrato de Adele Bloch-Bauer I, uma judia vítima do nazismo e como a sua sobrinha conseguiu, muitos anos mais tarde, recuperar esta obra de arte.

For those who like movies based on true stories, this is a movie you must see. Depicts one of the many stories of Jews whom the Nazis stole all their wealth and riches these, the Holocaust survivors never again see.

This film is the painting that the Austrians call “them Mona Lisa” and that in fact is the Portrait of Adele Bloch-Bauer I, a Jewish victim of Nazism and how her niece could, many years later, to recover this work art.

Mulher de Ouro

Aqui fica a Sinopse do Filme:

Passaram-se quase seis décadas desde que Maria Altmann (Helen Mirren), de origem judia, foi obrigada a sair de Viena (Áustria) para escapar à invasão nazi. Agora, decidida a recuperar o “Retrato de Adele Bloch-Bauer I”, o famoso quadro de Gustav Klimt que foi confiscado à sua família pelo exército alemão, ela deixa Los Angeles (EUA) e regressa, pela primeira vez, à cidade onde nasceu. Para a ajudar na longa batalha judicial que a espera – e que vai implicar um confronto com o Estado austríaco e o Supremo Tribunal dos EUA –, apenas poderá contar com Randol Schoenberg (Ryan Reynolds), um jovem advogado corajoso mas com pouca experiência.
Com realização de Simon Curtis (“A Minha Semana Com Marilyn”) e argumento de Alexi Kaye Campbell, inspira-se na verdadeira história de Maria Altmann (1916-2011) e na sua longa luta para recuperar o património perdido durante a Segunda Grande Guerra.

Here is the Movie Synopsis:

It’s been nearly six decades since Maria Altmann (Helen Mirren), of Jewish origin, he was forced to leave Vienna (Austria) to escape the Nazi invasion. Now, determined to recover the “Portrait of Adele Bloch-Bauer I”, the famous Gustav Klimt framework that was confiscated her family by the German army, it leaves Los Angeles (USA) and returns for the first time, the city where he was born. To help in the long legal battle that the wait – and that will involve a confrontation with the Austrian State and the US Supreme Court – can only count on Randol Schoenberg (Ryan Reynolds), a young lawyer brave but inexperienced.
With realization of Simon Curtis (“My Week With Marilyn”) and Alexi Kaye Campbell’s argument, inspired by the true story of Maria Altmann (1916-2011) and his long struggle to recover the lost heritage during the Second World War.

Fotografias by Público

Sugestão de Livro | O Público, o Privado e o Íntimo

publico-privado-intimo-isabel-leal-770x490

Se a vida fosse a preto e branco era tudo mais fácil. Eventualmente mais monótono mas, seguramente, mais fácil. Se fosse…

Mas, como não é, temos que enquanto indivíduos aprender o que não nos ensinam: gerir a incerteza, remendar pacientemente os buracos das expetativas, aprender a ler nas estrelinhas, saber passar, de vez em quando, por entre os intervalos da chuva.

Este é apenas um pouquinho do que podem ler e reflectir neste livro, um pouco diferente dos livros que se costumam sugerir por aqui mas não menos interessante.

If life was black and white it was all easier. Eventually more monotonous but surely easier. If it were…

But as it is not, as individuals we have to learn what not to teach us: managing uncertainty, patiently patching the holes with expectations , learn to read the stars, learn to pass, from time to time , through the intervals of rain.

This is just a little than can read and reflect in this book, a little different from books that often suggest here but no less interesting.

Fica aqui a Sinopse para abrir mais um pouco o apetite:

“Partir à descoberta das pessoas complexas que somos”, é a missão do mais recente livro de Isabel Leal, psicóloga e psicoterapeuta, professora catedrática do ISPA, e que há muito nos fascina com as suas reflexões.
“Desenvolvemo-nos em camadas como abafos de inverno em que, junto à pele, temos zonas macias e mimosas e, por fora, apresentamos materiais grossos e impermeáveis”, escreve Isabel Leal, recordando como “pela vida fora vamos aprendendo a esconder sentimentos e emoções”.
Um livro que ajuda os leitores nesta viagem ao interior de si mesmos, levando-os a uma maior consciência das suas capacidades e, por consequência, a uma vida mais feliz e gratificante. Afinal, presos nas nossas inseguranças e preocupações do dia-a-dia, é fácil perdermos de vista quem somos.

Here is the Synopsis to open a little more appetite:

“From the discovery of the complex who we are,” is the latest mission book Isabel Leal, psychologist and psychotherapist , professor university professor of ISPA, and that much fascinates us with their reflections . ” We have developed ourselves in layers as winter hot flashes where , next to the skin , soft and have mimosas areas and outside, present thick and waterproof material ,” writes Isabel Leal, recalling how ” through life we learn to hide feelings and emotions.”

A book that helps readers on this journey inside themselves, leading them to a greater awareness of their capabilities and, consequently , to a happier and more fulfilling life. After all, trapped in our insecurities and concerns of the day -to-day , it is easy to lose sight of who we are.

Fotografia by Trendy