Sugestão de Livro | Vidas Roubadas

Frente-vidas-roubadas-VF_2

Para quem gosta de livros que nos fazem pensar, os livros de Mary Kubica são perfeitos para isso…

Depois do excelente livro “Não Digas Nada”, neste livro “Vidas Roubadas” conhecemos Heidi Wood, uma mulher que trabalha com imigrantes e com pessoas que precisam de ajuda para se estabelecer num novo país. E conhecemos também o seu marido Chris e a sua filha Zoe. Heidi leva consigo uma jovem e o seu bebé para casa e toda a história gira em torno de todo o abuso e todos os transtornos porque esta jovem passou quando se viu desamparada após a morte dos seus pais.

Talvez um livro que nos faça perceber um pouco da realidade da crise de emigração que verificamos nos nossos dias.

Sinopse:

Numa manhã fustigada pelo mau tempo, Heidi Wood vê numa estação de comboios uma adolescente com um bebé ao colo. A partir desse momento, essa imagem não lhe sai da cabeça.

Quando, dias mais tarde, volta a encontrar a rapariga com a bebé, Heidi decide ajudá-las e leva-as para sua casa. Chris, o marido de Heidi, assim como a filha, Zoe, opõem-se em absoluto à ideia de esta jovem, que diz chamar-se Willow, ficar em sua casa, temendo que ela possa ser uma criminosa. No entanto, Heidi não lhes dá ouvidos e, à medida que o tempo passa, sente que não pode abandonar a rapariga, e acima de tudo a sua bebé, por quem nutre um sentimento maternal fora do comum.

Entretanto, começam a aparecer pistas sobre o passado de Willow que farão com que a história ganhe contornos perturbadores. Que segredos guardará esta rapariga cujo passado esconde a todo o custo?

Fotografia by TopSeller

Anúncios

Sugestão de Livro | Vozes de Chernobyl

vozes de chernobyl

Chernobyl não é desconhecido para a maioria de nós. A imagem duma explosão em formato de cogumelo salta-nos ao pensamento.

Mas… e os rostos desta tragédia que, ainda hoje se faz sentir?!

Este livro dá-nos a conhecer muitas dessas histórias desses rostos de Chernobyl… Para que nunca nos esqueçamos de que a maldade humana consegue fazer.

Sinopse:

A 26 de abril de 1986, Chernobyl foi palco do pior desastre nuclear de sempre. As autoridades soviéticas esconderam a gravidade dos factos da população e da comunidade internacional, e tentaram controlar os danos enviando milhares de homens mal equipados e impreparados para o vórtice radioativo em que se transformara a região. O acidente acabou por contaminar quase três quartos da Europa.Numa prosa pungente e desarmante, Svetlana Alexievich dá voz a centenas de pessoas que viveram a tragédia: desde cidadãos comuns, bombeiros e médicos, que sentiram na pele as violentas consequências do desastre, até as forças do regime soviético que tentaram esconder o ocorrido. Os testemunhos, resultantes de mais de 500 entrevistas realizadas pela autora, são apresentados através de monólogos tecidos entre si com notável sensibilidade, apesar da disparidade e dos fortes contrastes que separam estas vozes. Prefácio de Paulo Moura e tradução de Galina Mitrakhovich. «A sua técnica é uma mistura vigorosa de eloquência e de silêncio, descrevendo a incompetência, o heroísmo e o luto: a partir dos monólogos dos seus entrevistados, ela cria uma história que o leitor consegue de facto palpar. Ao lê-la, percebi pela primeira vez que Chernobyl foi o tsunami da Europa: mas fomos nós, humanos, que o criámos, e este tsunami é interminável.»The Telegraph «Se o leitor tem curiosidade sobre o futuro, sugiro que leia este livro com caráter de urgência. A Chernobyl de Alexievich é um lugar de extremos e do desconhecido, palco das consequências da tecnologia. No posfácio, a autora refere: “Estas pessoas já tinham visto o que, para todos os outros, era ainda desconhecido. Senti que estava a registar o futuro.” Tenho a certeza de que ela esta certa.»The Telegraph «Terríveis e grotescas, as histórias de “Vozes de Chernobyl” acrescem página após página como a radiação alojada nos corpos dos sobreviventes.»The New York Times «Quão genuinamente humanas são estas histórias: cada voz expressa fúria, medo, ignorância, estoicidade, compaixão e amor. Alexievich pôs a sua saúde em risco para reunir estes inestimáveis testemunhos de quem viveu o desastre na linha da frente, transformados aqui numa obra literária essencial e assombrosa.»Donna Seaman, Booklist «”Vozes de Chernobyl” deixa queimaduras de radiação no cérebro dos seus leitores.»Julian Barnes, The Guardian

A autora deste fantástico livro, Svetlana Alexievich nasceu em 1948 em Ivano-Frankivsk, na Ucrânia, e recebeu o Prémio Nobel de Literatura em 2015. Criou este novo tipo de romance chamado “romance de vozes” tratando-se duma prosa documental sempre baseada a partir de centenas de entrevistas.

Vale a pena descobrir este novo estilo literário com esta obra, e descobrir o rosto por de trás das vozes de Chernobyl.

Fotografia by Elsinore

Sugestão de Livro | Perguntem a Sarah Gross

Perguntem a Sarah Gross

Cada pessoa tem fases na vida em que gosta mais de um estilo e mais tarde muda para outro estilo completamente diferente.

Há uns anos atrás este tipo de livro não me fascinaria de todo. Mas… Estamos numa fase em que os romances históricos me interessam particularmente e/ou livros que falem de acontecimentos reais.

Este livro é um excelente romance histórico, da altura dos nazis, muitíssimo bem escrito por um escritor nacional, João Pinto Coelho.

A Sinopse desvenda um pouco mais do que é esta obra:

Fora ali que Sarah Gross aprendera a ser feliz. Mas eles chegaram e mudaram tudo.
Até o nome da cidade. Auschwitz?
Que raio era Auschwitz?

Em 1968, Kimberly Parker, uma jovem professora de Literatura, atravessa os Estados Unidos para ir ensinar no colégio mais elitista da Nova Inglaterra, dirigido por uma mulher carismática e misteriosa chamada Sarah Gross. Foge de um segredo terrível e procura em St. Oswald’s a paz possível com a companhia da exuberante Miranda, o encanto e a sensibilidade de Clement e sobretudo a cumplicidade de Sarah. Mas a verdade persegue Kimberly até ali e, no dia em que toma a decisão que a poderia salvar, uma tragédia abala inesperadamente a instituição centenária, abrindo as portas a um passado avassalador.
Nos corredores da universidade ou no apertado gueto de Cracóvia; à sombra dos choupos de Birkenau ou pelas ruas de Auschwitz quando ainda era uma cidade feliz, Kimberly mergulha numa história brutal de dor e sobrevivência para a qual ninguém a preparou.
Rigoroso, imaginativo e profundamente cinematográfico, com diálogos magistrais e personagens inesquecíveis, Perguntem a Sarah Gross é um romance trepidante que nos dá a conhecer a cidade que se tornou o mais famoso campo de extermínio da História.

Querem saber mais sobre este fantástico livro?! Perguntem a Sarah Gross!

Fotografia by Leya