Como Tirar o Peito ao Bebé

Os conselhos por parte de outras mães e até mesmo por parte das autoridades de saúde vão mudando ao longo dos anos… a verdade é que nunca é fácil retirar o peito aos bebés.

Estamos a retirar um momento em que o bebé tem a mãe só para ele e se sente aconchegado e protegido. Daí que, muitas vezes, quando se magoam acabam por pedir peito. Não por fome mas por necessidade de conforto.

Desde que o Glambaby nasceu que sempre quis amamentar os dois anos recomendados e depois retirar. Mas por ele comer mal (come melhor na creche do que connosco) fui deixando arrastar. Até porque ele já só mamava à noite para dormir (no lugar da chucha).

Fez dia 1 de Março 2 anos e 3 meses e decidi que seria agora o momento de tirar.

Escusado será dizer o quanto chorou e pediu “Pê” durante um bom bocado até adormecer. No dia seguinte já chorou menos e hoje, na sesta, já apenas procurou um pouco por ele e adormeceu.

Chegámos ao fim de uma etapa tão linda e da qual sentirei muita falta mas que mostra que o nosso menino está a crescer.

Penso que o que terá dificultado o processo foi mesmo o facto dele nunca ter querido chucha. São raras as fotografias em que conseguimos apanhá-lo de chucha que ele deitava logo fora.

Como parte boa, não estranhou o leite de vaca, mesmo que sendo o nosso normal meio gordo e não o de crescimento.

Mas porquê ter escolhido um dia e ter parado repentinamente?! Achei que seria mais fácil, apesar de mais doloroso. só dói os primeiros dias de falta. Depois esquece.

Como desejo de todo o coração que as mães que estão na mesma fase consigam retirá-lo sem problemas, hoje deixo algumas dicas. Espero que ajudem!

1. Depois de 6 meses exclusivos de peito e mais 18 meses junto com a alimentação, o momento certo é aquele que a mãe sentir que chegou a hora. A mãe vai dar conta que o bebé já não mama, apenas usa o peito como chucha.

2. Tentar retirar o peito uma refeição de cada vez. Um dia deixa de dar ao almoço, outro ao pequeno almoço… até que, possivelmente, deixará de dar definitivamente quando já só dá à noite.

3. Deixe de oferecer o peito. Dê apenas quando o bebé pedir. Por vezes, o bebé já está pronto a deixar de mamar mas como a mãe oferece ele continua a querer.

4. Evite a técnica de colocar alimentos amargos ou azedos no peito para o bebé o rejeitar, pois é um péssimo hábito segundo os especialistas.

5. Quando estiver na fase de desmamar, evite os sítios onde costumava dar de mamar para que o bebé não pense que o vai fazer.

6. Se os seios ainda estão cheios, pode ser pelo desmame estar a ser demasiado rápido. Ao ir reduzindo a quantidade de vezes que dá de mamar por dia, o organismo entende que não precisa produzir tanto e reduz a quantidade de leite. Retire o leite até se sentir mais confortável, sem retirar o leite todo para que o organismo não pense em produzir mais. Faça compressas frias nos peitos. Se não resolver é melhor consultar um médico.

7. Enquanto algumas mulheres têm uma incrível sensação de liberdade quando deixam de amamentar, outras sentem muita falta dessa ligação mãe e filho. É importante pensar que o amor entre ambos não vai acabar. O vínculo pode ser fortalecido com os cuidados diários, como um banho bom antes dele adormecer, a canção que a mãe canta, o colo aconchegante.

8. Se a criança é saudável, forte, tem uma alimentação rica e variada, com todos os nutrientes necessários para seu desenvolvimento pleno, ela está pronta para largar o peito. O leite poderá ser ingerido de outras formas, introduzindo o uso do copinho.

9. Tente passar do peito para o copo para que o bebé não se agarre a um “peito suplente”.

10. Quando a criança deixa de vez o leite materno, o leite que precisa ser introduzido é sempre o de fórmulas infantis, nunca o leite de vaca. As fórmulas lácteas são enriquecidas com nutrientes importantes para o bebé que costumam ser escassos no leite de vaca, como é o caso do ferro. Mas se o bebé não se der com leite de crescimento mais vale dar-lhe o leite normal do que nada.

Acima de tudo, tenha paciência, força e não pense que o fim do peito é o fim do mundo para o seu bebé.

Anúncios

Dormir a Três…

Sim, é errado! Mas no meio do frio dá vontade de o deitar sozinho na cama dele sabendo que ele se descobre todo a toda a hora!

Agora no tempo bom sim! Vai voltar para a caminha dele! Foi para isso que ela foi comprada!

A questão aqui é que nós assumimos isto! Sim ele ainda está a dormir na nossa cama!

Mas não há privacidade para os pais! Não, não há! Temos que ser criativos e arranjar tempo a dois noutras alturas!

Não dormimos em conchinha hoje?! Dormimos amanhã! Não sinto que estamos a pôr o bem estar do nosso filho em detrimento do nosso! Sinto sim que estamos a cuidar dum ser que ainda não se sabe cuidar sozinho!

Volto a dizer, sei que é errado ele dormir connosco mas… antes do errado os pais têm que pesar o que é melhor para todos naquele momento! Há uma conduta correcta a levar para melhor cuidar das crianças sim mas há outros factores que muitas vezes os estudos não têm em conta porque cada caso é um caso é cada criança é diferente!

Amo-te filhote!

Admirado com o Natal

Eu sei que ainda falta algum tempo para o Natal, mês e meio mais ou menos, mas já se vêem luzinhas por todo o lado!

O nosso Glambaby o ano passado ainda era muito pequeno! Mas este ano, quase com 2 anos de idade, está a delirar com todos os motivos de Natal que temos visto!

Hoje chegou mesmo a abraçar um boneco de pai natal!

Por causa disso, decidimos fazer mais cedo a nossa árvore de natal para que ele pudesse ver as luzinhas mais tempo! E até colocou alguns enfeites!

É engraçado como passamos a dar mais valor a estas festividades quando temos crianças em casa.

Eu e o meu marido chegámos a ter apenas uma árvore de 20cm que saia com um conjunto de refrigerantes. Só para dizer que tínhamos árvore!

Agora, com o nosso bebé, que já vai no terceiro natal apesar de apenas ter 23 meses (o primeiro tinha ele um mês de vida), há todo um ritual, uma necessidade de entrar o clima natalício!

É tão bom vê-lo correr em direcção a todas as montras que têm já motivos natalícios!!

Impossível não amar ser mãe!