A Creche e o Bebé Doente

O Glambaby entrou só agora para a creche e mal entrou já apanhou a primeira virose. Três dias depois para ser mais específica. Depois de pesquisar muito sobre o assunto, apercebi-me que a entrada no infantário costuma ser sinónimo de doenças tratando-se, apenas, de uma fase transitória.
Vamos lá perceber porque é que isto acontece…

Então, os recém-nascidos e latentes têm menos defesas contra os micróbios do meio que nos rodeia, por isso, são mais sujeitas a contraírem infecções que são, na maioria das vezes, causadas por vírus e  curam-se espontaneamente.

Muitas destas viroses têm  um nome específico, como a rinofaringite, o exantema súbito ou a varicela. No entanto, muitos episódios febris não têm uma sintomatologia clínica típica, pelo que o médico o denomina apenas como virose. Os vírus causadores da doença podem ser muitos e nem sempre identificáveis, mesmo com análises. Porém, não se assustem quando o pediatra disser que a criança tem uma virose pois, isso não significa  que não sabe o que a criança tem, conforme muitos pais julgam.
Como as gotículas nasais são a principal fonte de contágio, é compreensível que nas creches com outras crianças o contágio seja mais fácil. Isto nada tem a ver com más condições ou falta de cuidado das educadoras.

Quanto ao tratamento, é essencial perceber que as viroses não se tratam com antibióticos. Mais uma vez, a maioria destas doenças tem cura espontânea, porquanto estimulam o sistema imunitário do organismo humano. Mesmo as crianças pequenas são capazes de pôr em ação os seus mecanismos naturais de defesa.
É normal, resumindo a questão, que a criança passe quase mais tempo em casa doente do que no próprio infantário. Claro que isto preocupa os pais, pois todos queremos o melhor para os nossos filhos, mas consultem o vosso ao pediatra que vos irá tranquilizar e explicar como é uma situação é transitória.

Anúncios