As Mil e Uma Opiniões que os Recém Pais não Pedem…

bebe e parentes

Depois de 6 meses de ter sido mãe e depois de ter visto outras mães com os mesmos problemas com parentes, amigos, conhecidos, vizinhos, pessoas desconhecidas… aqui estão alguns factos irritantes com que os bebés e as suas mães são bombardeados.

Acabas de ser mãe e começas a lidar com, emoção e alegria, a nova vida de quem acabou de dar à luz, mas também com o cansaço físico e a recuperação do corpo e com o GlamBaby que clama, ou grita, por leite e atenção. E nesta fase nova e complicada,os parentes, amigos, vizinhos e afins, que se necessário for nunca vieram a tua casa, fazem a gentileza de se enfiarem em tua casa e passar o nosso mais que tudo recém-nascido de mão em mão não deixando nem a mãe nem o bebé se adaptarem um ao outro

A questão que se coloca hoje é como interromper esse processo e impor limites sem ser mal educada!

1. Visitas na maternidade

Se as visitas que a estão já a cansar são família próxima, então toma liberdade de dizet, de forma clara, está muito cansada e que podem visitar o bebé noutra altura. Quando já é família com quem não tem tanta intimidade ou são apenas conhecidos, a alternativa é dizer que quer se deitar um pouco ou até mesmo fingir que dorme. Claro que também terá as visitas sem noção nenhuma do que estás a pedir e em que a única solução é recorrer ao pessoal de enfermagem que as “expulse” do quarto.  Por vezes, as pessoas sem noção de que uma mãe depois do parto precisa de descansar vem donde menos se espera.

2. Em casa

A animação continua em casa, continuas toda dorida, a precisar de cuidar do bebé e de ti e tens toda uma quantidade de pessoas que fazem sala em tua casa e que, se for preciso, ainda esperam que lhes faças o lanche e o jantar. O ideal é mesmo explicares que precisam de espaço e tempo para se adaptarem. O companheiro tem uma função essencial de falar para os presentes que tu precisas descansar. E as coisas ainda complicam quando as visitas embirram em tirar fotos com flash ao GlamBaby! Porque “na altura em que eles foram pais não havia essas mariquices” dizem algumas visitas. Nessa altura é tempo de se imporem e falar nas recomendações dos médicos e enfermeiros e dizer que querem que isso seja cumprido!

3. Hóspedes para ajuda não requisitada 

Uma coisa é a mãe do bebé sentir necessidade de ter alguém que a ajude nos primeiros dias e o pai do bebé também o sentir. Outra é a sogra ou outro parente querer se mudar para vossa casa sob o pretexto de ajudar a cuidar do recém-nascido ser isso ter sido pedido. Mais uma vez,  é fundamental manter a franqueza. Essa atitude é uma forma de estabelecer limites que serão importantes ao relacionamento familiar no futuro.

4. Palpites sem fim

É importante ter em mente que as pessoas querem mesmo é ajudar. Mas se a mãe acha, ou ouviu de pessoal especializado, que as coisas não são assim, as pessoas têm que perceber que o que prevalece é a vontade da mãe e os pais do GlamBaby devem dizer isso com jeito e delicadeza. Muitas vezes não vai ser fácil dizer que não mas, se não o fazem, alguém vai querer tomar as decisões por vocês. Umas vezes vocês vão errar e outras acertar, é um direito que têm enquanto pais. Ouve os palpites, mesmo que não seja para os seguir, e quando estiver a ficar farta da conversa, tente mudar de assunto delicadamente. Um exemplo, é o amamentar exclusivamente até aos 6 meses, aos 4 meses tinha grande parte da família a quer que eu introduzisse as sopas ao GlamBaby. Foram muitas as vezes que tive que dizer que não e até impedir que alguém lhe pusesse alguma coisa na boca do bebé. Sempre com calma e com a convicção que queria que fosse assim.

5. Comentários há muitos

O pós-parto é um momento de desafios e mudanças. Ficamos mais sensíveis, com um corpo diferente. Isso não inibe as pessoas de fazerem comentários sobre  as feições do bebé ou com comparações. De comentarem que o teu corpo já devia ter voltado ao “normal”, que engordas-te muito, que parece que ainda estás grávida… Alheia-te dessas inconvenientes conversas.

6. Parto normal, parto cesariano, com ou sem epidural

Se tiveste parto normal é porque levaste epidural e não sentiste o que é, realmente ser mãe porque não sentis-te dor. Se tiveste por cesariana, pior ainda! É o tipo de conversas que eram escusadas ter com uma recém mãe porque o importante é o bebé estar bem e a mãe estar bem. Quem escolhe o tipo de parto é a mulher e ao obstetra e, por vezes, nem sequer se trata de uma opção. Não se é mais ou menos mãe pelo tipo de parto.

7. A expectativa, o julgamento e a realidade

Era óptimo que todas as mulheres fossem mães e conseguissem voltar a ter o corpo que tinham, conseguissem logo reorganizar a vida de forma a que tudo continuasse harmonioso como antes. Mas sabemos que o tudo muda e que a adaptação, muitas vezes, demora. O importante é que a mãe se consiga sempre impor no que toca ao que é importante para si e para o seu bebé e se fortaleça enquanto mulher.

8. A obrigação de amamentar

Amamentar é bom, sim, mas há mulheres que não querem ou não conseguem amamentar.  Amamentar é importante mas, às vezes, pode causa sofrimento e nem todas as mulheres produzem o leite necessário ou conseguem amamentar com rapidez e sem obstáculos. O importante é não te sentires culpada e, por isso, o assunto deve ser tratado como um trabalho em equipa: mãe, bebé, ginecologista e pediatra. As críticas de outras pessoas que não estas, não são para levar em conta.

9. A alimentação da mãe

As opiniões começam logo na altura da gravidez… Há quem queira que comas a dobrar, há quem queira que comas só o suficiente para não engordares muito. Calma e jogo de cintura são as melhores armas para enfrentar as intromissões.

10. A alimentação do bebé

As cobranças e os palpites a respeito da alimentação do bebé podem até diminuir com o passar dos anos, mas tendem a se prolongar pelo menos até as primeiras papinhas como já falei. E mais uma vez, é preciso impor-se e, se necessário for, usar o bom humor para o fazer.

Lembra-te sempre que o filho é vosso e que vocês, mais que ninguém, querem o melhor para ele e para vocês próprios e vão fazer tudo para que tudo corra bem. E vai haver sempre alguém a querer opinar, aceite isso e drible da melhor forma o assunto.

Anúncios

2 thoughts on “As Mil e Uma Opiniões que os Recém Pais não Pedem…

Os comentários estão fechados.