Fox Life | Malala

malala1

Dia 6 de Março às 18h não devem perder na Fox Life um documentário sobre esta grande mulher dos nosso tempos.

O documentário fala sobre:

Uma perspetiva dos eventos que levaram ao ataque Taliban sobre a jovem estudante paquistanesa, Malala Yousafzai, por falar sobre a educação das raparigas e as suas consequências, incluindo o seu discurso nas Nações Unidas.

Malala Yousafzai é um dos grandes nomes da luta pelos direitos das mulheres. Aos 17 anos, foi a pessoa mais jovem a ganhar o Prémio Nobel da Paz, em 2014.

A sua luta começou por querer que ela e as suas colegas tivessem o direito de estudar, o que, no seu país, é proibido para meninas. Mesmo sendo perseguida, ela não se calou e não desistiu da sua luta. Mas, em outubro de 2012, quando voltava da escola, foi atingida na cabeça com um tiro à queima-roupa. A justificação dada pelo porta-voz dos talibã é que ela seria um símbolo dos infiéis e obscenidade, uma ameaça contra o Islão.

Depois de um longo período de recuperação, contou a sua história no livro “Eu, Malala”.

March 6 to 18h should not miss on Fox Life a documentary about this great woman of our times.

The documentary talks about:

A perspective of the events that led to the Taliban attack on the young student Pakistan, Malala Yousafzai, speaking on the education of girls and their consequences, including his speech to the United Nations.

Malala Yousafzai is one of the greats of the struggle for women’s rights. At 17, he was the youngest person to win the Nobel Peace Prize in 2014.

Their struggle began for wanting that she and her colleagues had the right to study, what, in your country, it is forbidden for girls. Despite being persecuted, she was not silent and did not give up their fight. But in October 2012, when he returned from school, he was hit in the head with a shot at point blank range. The justification given by the Taliban spokesman is that it would be a symbol of the infidels and obscenity, a threat against Islam.

After a long period of recovery, he told his story in the book “I, Malala.”

malala livro

 

Para entender a luta de Malala é preciso saber, primeiro, que no Paquistão, as mulheres não têm os mesmos direitos que os homens. Delas, espera-se apenas que cozinhem e sirvam aos pais e irmãos. Enquanto eles podem andar livremente pela cidade, elas não têm autorização para sair de casa sem que um parente do sexo masculino as acompanhe.

Sempre com o apoio do pai, Malala diz que decidiu muito cedo que, com ela, as coisas não seriam assim, o que era quase impossível perante as leis severas que tentavam controlar desde relacionamentos até atitudes banais do dia a dia, misturando cultura e heranças religiosas para agir contra os direitos das mulheres.

To understand the Malala struggle is necessary to know , first, that in Pakistan, women have the same rights as men. Of them , it is expected that only cook and serve the parents and siblings. While they can walk around the city , they are not allowed to leave the house without a male relative accompanying them.

Always with the support of his father , Malala says he decided very early on that , to her, things would not be so, it was almost impossible before the harsh laws that tried to control from relationships to banal attitudes of everyday life , mixing culture and heritage religious to act against the rights of women.

malala

Vale a pena conhecer o resto da sua história neste documentário da Fox Life.

It pays to know the rest of your story in this documentary Fox Life .

 

Anúncios